quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Entre de peito nessa luta

video

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Uso do sutiã

Suti Hol[1]
View SlideShare presentation or Upload your own. (tags: de mama)

sábado, 25 de outubro de 2008

terça-feira, 8 de julho de 2008

Rotina na prevenção!!!!



Prevenção do Câncer de Mama



O Câncer de mama tem cura!!



O câncer de mama tem cura, previna-se. Fique de olho e mate no peito esta doença! E diagnosticando-se cedo, o tratamento é geralmente fácil, sem implicar na retirada total das mamas. Mas se isto for necessário, a reconstrução plástica das mamas fornece excelentes resultados.



As estratégias de atuação para a prevenção do câncer de mama podem ser classificadas em dois tipos: as que visam evitar a sua formação (prevenção primária), e as que têm por objetivo sua detecção precoce (prevenção secundária).



Prevenção primária



Em termos de prevenção primária, devem ser lembradas,em primeiro lugar, as medidas mais simples, dietéticas e comportamentais, que valem a pena ser estimuladas. Deve-se evitar obesidade, sedentarismo, alimentos gordurosos e ingestão alcoólica em excesso.



Casos especiais, de alto risco para câncer, pode merecer, uso de medicamentos preventivos como o tamoxifen, que antagoniza a ação do estrogênio, ou a retirada da glândula mamária, com inclusão de prótese de silicone. Estas medidas, não devem ser rotina, porque tem vantagens e desvantagens, mas são alternativas válidas para certos casos, e ser recomendadas apenas depois de detalhadas explicações obtidas com médicos especialistas.




Prevenção secundária ou detecção precoce




Estima-se que desde a primeira divisão celular anômala até um nódulo palpável de um centímetro, que corresponde a um bilhão de células tumorais, exista um intervalo aproximado de 10 anos. Nesse período, o melhor método com ação comprovadamente eficiente como "screening" é a mamografia de alta resolução. A orientação atual, que deve ser seguida em condições ideais de recursos para a assistência à saúde, é a mamografia anual a partir dos 40 anos de idade, tendo sido feito um exame basal prévio aos 35 anos.
Na fase pré-clínica de neoplasia, de tumores detectados pela mamografia, as taxas de cura são de quase 100%, e essa deve ser a motivação maior para estimular as mulheres a fazer uma mamografia de rotina.


O exame físico das mamas realizado por médicos ou paramédicos treinados é também eficiente, permitindo o diagnóstico precoce de tumores com um ou mais centímetros de diâmetro. O auto exame das mamas, realizado pela própria paciente mensalmente após a menstruação, identifica nódulos a partir de dois e três centímetros de diâmetro, e deve ser também ensinado e praticado, especialmente em nosso meio, em que a maior parte da população não tem acesso a mamografia.




Resumo da Rotina para diagnóstico precoce do câncer de mama


Mamografia:
basal aos 35 anos;
anual depois dos 40 anos.



Exame físico por médicos ou enfermeiros:
anual depois dos 30 anos.



Auto-exame de mamas:
mensal depois dos 30 anos.






fonte: Sociedade Brasileira de Mastologia
http://www.sbmastologia.com.br/prevencao_do_cancer.html




Obs: Vale lembrar que mulher com parentes em primeiro grau com CA de mama com início antes dos 45 anos devem iniciar o screening 10 antes dessa idade de inicio. Ex: Mãe com cancer aos 41, a filha deve iniciar com 31.






O site da sociedade Brasileira de Mastologia tem alguns artigos interessantes, com bom embasamento científico que podem ser úteis.


Divulgue essa idéia
... O MELHOR TRATAMENTO SEMPRE É A PREVENÇÃO!!!!


César Elias
Médico


quarta-feira, 2 de julho de 2008

Iodamina

Remédio criado a partir de fungo consegue matar câncer de fome
Molécula batizada de lodamina destruiu tumores de mama, próstata, útero e cérebro.Substância age destruindo vasos sangüíneos que alimentam massa tumoral
Um novo remédio, criado a partir de um fungo que contaminou acidentalmente um experimento, pode se mostrar eficaz contra um espectro amplo de tumores, afirmam cientistas. Batizada de lodamina, a droga foi aperfeiçoada em um dos últimos trabalhos de Judah Folkman, um dos maiores especialistas em câncer do mundo, que morreu em janeiro passado. Folkman foi o pioneiro da chamada antiangiogênese -- uma estratégia que consiste em matar os tumores de fome, acabando com os vasos sangüíneos que os alimentam.

A lodamina é um inibidor de angiogênese (formação de vasos sangüíneos) que a equipe de Folkman está tentando melhorar há 20 anos. Num artigo na revista científica "Nature Biotechnology", os colegas do falecido pesquisador dizem ter criado uma formulação que pode ser tomada como uma pílula, sem efeitos colaterais. A descoberta já está licenciada para uma empresa de biotecnologia dos EUA.
Testes em camundongos mostraram que o medicamento funciona contra tumores de mama, neuroblastomas, cânceres de ovário, de próstata, de útero e tumores cerebrais conhecidos como glioblastomas. Segundo Ofra Benny e seus colegas do Hospital Pediátrico de Boston e da Escola Médica de Harvard, a droga deteve os chamados tumores primários (os primeiros a aparecer num dado organismo) e também impediu que a doença se espalhasse para outros focos no corpo.

"Ao ser administrada oralmente, ela atinge primeiro o fígado, o que a torna especialmente eficaz na prevenção de metástases [formas secundárias do tumor] hepáticas em camundongos", escrevem os pesquisadores em seu artigo. "As metástases no fígado são muito comuns em muitos tipos de tumor e costumam estar associadas a um prognóstico ruim e a uma baixa taxa de sobrevivência", acrescentaram eles.

"Quase limpo"
"Quando examinei os fígados dos camundongos, o grupo tratado estava quase limpo", disse Benny em comunicado oficial. "No grupo controle, era impossível reconhecer os fígados -- eles tinham virado uma massa de tumores."

A droga foi isolada originalmente de um fungo chamado Aspergillus fumigatus fresenius. Donald Ingber, da Universidade Harvard, descobriu o fungo por acidente ao tentar cultivar células endoteliais, que revestem a parede dos vasos sangüíneos. O bolor afetou as células de modo a impedir o crescimento de pequenos vasos conhecidos como capilares. Os pesquisadores logo perceberam o potencial antiangiogênico da substância por trás do fenômeno, mas a molécula tinha efeitos colaterais, causando depressão e tonturas. Além disso, não permanecia muito tempo no organismo.Benny e seus colegas resolveram o problema com a ajuda da nanotecnologia, que permite manipular com precisão as características de uma molécula. O grupo "colou" dois grupos de átomos na substância original, protegendo-a dos ácidos do estômago. Com isso, a droga alterada conseguiu chegar diretamente às células tumorais, destruindo-as sem efeitos colaterais aparentes. Os pesquisadores crêem que a lodamina poderá ser útil contra outras doenças ligadas ao crescimento anormal dos vasos sangüíneos, como a degeneração macular ligada à idade, problema de visão que pode levar à cegueira.

Fonte: Globo.com

sábado, 14 de junho de 2008

Zometa

Medicamento reduz em 35% risco de recorrência de câncer de mama

O medicamento contra a osteoporose Zometa, do laboratório suíço Novartis, reduziu em 35% o risco de recocorrência em mulheres na pré-menopausa com câncer precoce de mama, segundo um estudo clínico apresentado este sábado em Chicago.
Trata-se do primeiro estudo clínico em grande escala (1.800 mulheres) que confirma as propriedades anticancerígenas do Zometa (ácido zoledrônico), um novo bifosfonato.
Essa categoria de medicamento já é usado contra as metástases ósseas e a osteoporose, doença que provoca a diminuição da massa óssea.
"É estimulante descobrir que o ácido zoledrônico, além de impedir a perda de tecido ósseo nas mulheres que fazem um tratamento hormonal contra o câncer de mama, também pode reduzir a probabilidade de reaparecimento do tumor", declarou o doutor Michael Gnant, professor de Cirurgia da Universidade de Viena e principal autor desses estudos.
O doutor Gnant apresentou os resultados desse estudo na 44a Conferência Anual da Sociedade Americana de Oncologia, realizada neste final de semana em Chicago (Illinois, norte).

Fonte: A Critica Publicado em 03/06/2008

quarta-feira, 7 de maio de 2008

O Instituto Nacional do Câncer- INCA- Pesquisa sobre Herceptim

Através revista REDE CÂNCER, tive conhecimento de que, baseados em um estudo realizado na Finlândia, o INCA, juntamente com várias outras instituições, fariam uma pesquisa com vistas a reduzir o tratamento com o Herceptin de doze para nove meses, e assim baixando o custo, viabilizar a incorporação do tratamento com o medicamento pelo SUS . O estudo contempla o tratamento em 538 pacientes, divididos em dois grupos. O primeiro grupo, de 269 pacientes, será tratado durante nove meses com o medicamento associado à quimioterapia. O segundo grupo, também com 269 pessoas, recebera o medicamento por doze meses.
Esse estudo, previsto para ter seu início em 2008, ainda não começou por falta de verbas, segundo o Dr. Carlos Gil Ferreira, Chefe da Divisão de Pesquisas Clínicas do INCA.
E-mail: CFerreira@inca.gov.br

Fonte: Revista Rede Câncer(editada pelo INCA)

HER2 Positivo

Resultado: HER2 positivo. As mulheres com câncer de mama e que têm o exame da HER2 positivo, podem se beneficiar com o tratamento a base de Herceptin.

O medicamento Herceptin, nome comercial do transtuzumab, é produzido pela Roche e é um anticorpo contra a proteína HER2 que inibe o crescimento das células cancerosas que sobre-expressam a proteína HER2.
Em 1985, a proteína HER2 ou NEU ou ERBB2 e o gene que a codifica foram identificados.
Em 1987, Dennis Slamon et al (University of California - Los Angeles) descobrem que 20 a 30% dos casos de cancro de mama sobre-expressam HER2, e que estes são os casos mais agressivos.
Em 1989, Slamon et al descrevem a acção da HER2 em células cancerosas mamárias.
Em 1998, O Herceptin ganha o OK da Federal Drugs Administration, a entidade que aprova os medicamentos nos EUA. Na prática, costuma ser a primeira a aprovar medicamentos para uso no mundo inteiro.
Em 1999, o Herceptin começa a ser comercializado pela Roche.